Bem-estar

23/09/2015 08h19

Alergias da primavera

Como prevenir e tratar os principais incômodos da estação

Por Nosso Bem Estar

Arquivo Nosso Bem Estar
Sec out dollarphotoclub 83124366

Saiba como prevenir e tratar os principais incômodos da estação

A estação das flores traz encantos e é recebida com muita alegria após um período de friagem rigorosa. O problema é que nem todo mundo consegue aproveitá-la como gostaria, devido ao surgimento das incômodas alergias. Segundo a médica Izilda Bacil, especialista em doenças alérgicas no Hospital Balbino, no Rio de Janeiro, as alergias são hereditárias em 60% dos casos.

Se você sofre com o incômodo causado por elas, confira aqui as formas de prevenção e os tratamentos para resolver esse problema de forma eficiente.

 

Por que as alergias aumentam na primavera?

Na primavera aumenta a polinização das flores e, em conjunto com o clima seco e as constantes mudanças de temperatura, as doenças respiratórias se agravam e a estação mais florida do ano pode se tornar um verdadeiro pesadelo para quem é alérgico. Pessoas que vivem em regiões onde as características da primavera são mais bem definidas tendem a apresentar os sintomas alérgicos ainda mais fortes e precisam ter atenção redobrada.

Geralmente, uma crise alérgica acontece quando a pessoa com hipersensibilidade entra em contato com as substâncias alérgenas. Para se defender, o organismo aciona um mecanismo de defesa a fim de expulsar tais substâncias e é nesse momento que acontecem as crises em forma de espirros, lacrimações e corrimentos nasais.

Além do pólen das flores, o clima seco favorece o aumento da poeira e da poluição transportada pelo ar, causando uma piora significativa no quadro do paciente. Os pelos de animais, ácaros, fungos e até mesmo alguns insetos também são considerados alérgenos e afetam as pessoas sensíveis com maior ou menor intensidade, dependendo do grau da alergia.

 

Alergias mais frequentes na primavera

Rinite, sinusite, asma,  alergias cutâneas e a conjuntivite podem ser definidas como os casos alérgicos mais registrados durante a estação da primavera. A rinite é causada pela infecção por vírus e bactérias que levam à inflamação da mucosa nasal, e a sinusite, normalmente consequência de um agravamento da rinite alérgica, apresenta inflamação nos seios paranasais e as cavidades entre os ossos da face, causando dores de cabeça ao acordar, dores no rosto e dentes da arcada superior. Além disso, é muito comum o surgimento de muco, que contribui para a congestão nasal e tosse.

 

Como prevenir e tratar as alergias da primavera?

Para prevenir as reações alérgicas, é muito importante que o local onde a pessoa passa a maior parte do tempo, principalmente o quarto em que dorme, esteja totalmente livre dos alérgenos, e isso inclui limpezas frequentes do ambiente. Utilize aspirador de pó em vez de vassouras para não levantar poeira e, em seguida, finalize passando um pano úmido no chão e nos móveis do cômodo.

Existe um tipo de filtro especial para aspiradores de pó (HEPA) que ajuda na captação de bactérias, ácaros e fungos. Sua utilização é extremamente recomendável para combater os alérgenos e impedir o agravamento dos sintomas da  alergia.

Vá além da limpeza do local e troque as cortinas por persianas para evitar o acúmulo dos alérgenos e facilitar a higienização. Os tapetes e carpetes comuns podem dar lugar aos de material emborrachado (E.V.A), que permitem uma lavagem mais fácil e reduzem o acúmulo dos reagentes alérgicos. O mesmo vale para as capas de sofá, as almofadas, os travesseiros e os colchões.

Outra dica importante é reduzir a quantidade de objetos nos cômodos, pelo menos no quarto, pois eles são acumuladores de poeira e dão trabalho para limpar. Também dê preferência para edredons ao invés de cobertores e tenha o hábito de lavá-los de 15 em 15 dias. A utilização do ar condicionado é fundamental para combater a entrada de alérgenos na casa e ainda garantir uma temperatura estável, mas lembre-se de trocar os filtros do aparelho periodicamente.

Uma boa notícia para quem gosta de animais de estimação é que você não precisa se desfazer do seu para reduzir as crises alérgicas. Basta deixá-lo do lado de fora da casa ou, se não tiver um quintal, evitar que ele circule pelo quarto em que você dorme. O cigarro também deve ser evitado dentro de casa, o que pode ser uma boa oportunidade para pensar em parar de fumar. Assim como o cigarro, tintas, perfumes e produtos de limpeza exalam cheiros fortes e são extremamente incômodos para quem é alérgico, desencadeando reações nada agradáveis.

Segundo a médica Izilda Bacil, o controle ambiental aliado ao uso de medicamentos por via oral ajuda a aliviar os sintomas, mas o tratamento para reverter o quadro só é possível com o uso de vacinas. Então, se você é alérgico, não espere chegar a primavera. Procure um médico especialista e aproveite a estação respirando melhor.

 

E você, o que faz para prevenir e tratar as alergias da primavera? 

X