Bem-estar

11/10/2017 06h30

Congestão alimentar

Conheça mitos e verdades sobre este mal que causa tantas dúvidas nas pessoas

Por Nosso Bem Estar

Video CDN | Pixabay
M21

Mitos e verdades sobre a congestão

É verdade que não se pode tomar banho de mar ou de rio após alimentar-se, por que pode causar congestão alimentar? É fato que caminhar após as refeições facilita a digestão? Conheça a resposta destas e muitas perguntas deste curioso assunto.

O que é congestão?

Nada mais é do que um mal-estar generalizado. A congestão acontece, geralmente, quando as pessoas praticam exercícios físicos, após terem feito uma refeição mais pesada.

Se for mais leve, ou na fase inicial, a congestão pode causar apenas estufamento do abdômen, com inchaço e dores na região.

Os sintomas, dependendo da gravidade, podem incluir: vômitos, náuseas, desmaio, suor e tontura.

1 - Nadar depois das refeições pode causar congestão

Verdade. Acredite no que sua avó sempre falou: deve-se esperar pelo menos duas horas após alimentar-se para nadar em piscina, mares, rios ou lagos. Isso evita a congestão alimentar. Se a refeição for leve, após uma hora, o exercício está liberado.

O organismo concentra sangue no sistema digestivo, quando recebe alimentos. Existe um tipo de competição entre digestão e exercícios físicos, para ver quem ganha mais sangue para durante a realização. Quem perde a disputa é o cérebro, que fica sem fluxo sanguíneo adequado e pode gerar mal-estar.

O mesmo vale para todas as atividades físicas intensas, como correr, jogar futebol, brincar de pega-pega, treinar musculação etc.

2 - Congestão mata

Isso é mito. Não é agradável ter uma congestão alimentar, mas não é algo fatal. Quando acontecer, a pessoa deve ficar deitada em ambiente arejado e tranquilo, com roupas frouxas.

Os sintomas levam em torno de uma hora para aliviarem, contudo, se houver queda de pressão arterial ou desmaios, recomenda-se procurar atendimento médico.

Em casos de morte, a congestão não é a causa, e sim, acidentes relacionados. Por exemplo: nadou-se e por se sentir mal, a pessoa se afogou; se estiver bêbada, pode aspirar o vômito e morrer asfixiada, entre outros.

3 - O banho de chuveiro também pode causar mal

Mais um mito. Banhar-se em rios, mares e lagos após as refeições pode causar congestão alimentar, mas o mesmo não acontece com o uso do chuveiro. Afinal, o mal é causado pela atividade física, que não ocorre nesse caso. A digestão continua normalmente em um banho de ducha.

4 - Caminhar depois de comer facilita a digestão

Verdade. O que causa congestão alimentar é a atividade física intensa. Caminhar após as refeições facilita o processo. O desconforto que algumas pessoas sentem após comer algo pesado é minimizado com a caminhada, assim como a sensação de inchaço na barriga.

Passear a pé depois de uma refeição é benéfico para o organismo, afinal, acelera a digestão (pelo aumento do metabolismo) e ainda promove queima de calorias. E nem é preciso caminhar muito! Cem passos já trazem benefícios ao corpo.

5 - Congestão é o mesmo que indigestão

Verdade. O termo congestão é utilizado de forma popular, mas tem o mesmo significado de indigestão, ou seja, interrupção do ato de digerir. A popularização se deve porque a cessação da digestão é semelhante a um congestionamento no organismo, geralmente ainda no estômago.

Em termos médicos, a congestão alimentar é chamada de indigestão ou ainda, dispepsia aguda.

6 - Somente exercícios físicos podem causar congestão

Mito. A congestão está associada a exercícios físicos após as refeições, mas não é a causa única deste mal. Qualquer abuso alimentar pode causar indigestão. Não existe causa única este mal-estar.

7 - Ler depois das refeições pode fazer mal

Mito. Após nos alimentarmos, nosso organismo precisa de grande fluxo sanguíneo no sistema digestivo, para realizar a digestão. No entanto, a leitura não é uma atividade intensa, não demanda esforço e não há competição entre cérebro e os órgãos da digestão.

8 - Tomar medicamentos alivia a congestão

Verdade. Muitas pessoas fazem uso de efervescentes, antiácidos ou analgésicos para aliviar os sintomas de congestão alimentar e realmente sentem a melhora. Porém, os médicos recomendam que não haja automedicação, porque os sintomas tendem a passar em uma hora.

Podem ser usados como último recurso, quando há real necessidade, mas devem ser evitados se a congestão for frequente. Deve-se prezar por hábitos alimentares saudáveis e respeitar as pausas sugeridas após as refeições, principalmente na realização de atividades intensas. 

X