Saúde Integral

16/02/2017 07h30

Já ouviu falar em SGNC?

Entenda a sensibilidade ao glúten na ausência de doença celíaca, doença que tem intrigado especialistas

Por Nosso Bem Estar

Pixabay
Sem gluten

Saiba mais sobre a SGNC

É cada vez mais comum algumas pessoas desenvolverem sensibilidade ao glúten não celíaca (SGNC) mesmo sem diagnóstico de doença celíaca, o que tem deixado médicos e nutricionistas intrigados. Muito além de modismo ou frescura, essa condição existe e precisa ser investigada para garantir o bem-estar e a saúde do paciente.

glúten é uma proteína composta pela mistura da gliadina e glutenina, que se encontram naturalmente na semente de muitos cereais, como trigo, cevada, centeio, aveia e malte.

doença celíaca é um processo inflamatório crônico que afeta o sistema autoimune do organismo e ocorre em indivíduos geneticamente predispostos. Pode se manifestar em qualquer fase da vida, com ou sem apresentação de sintomas. Cerca de 1% da população sofre com essa condição, segundo a Federação Nacional das Associações de Celíacos do Brasil (Fenacelbra).

Já a sensibilidade ao glúten não celíaca (SGNC) se refere às pessoas que são intolerantes ao glúten, apresentando sintomas após a ingestão, mas o diagnóstico da doença celíaca ou alergia ao trigo foram negativos. Diferente da doença celíaca, a SGNC tem sintomas mais amenos por não envolver mecanismos alérgicos e autoimunes e não prejudica o intestino. A sensibilidade pode se confundir com outros quadros de difícil diagnóstico, como a síndrome do intestino irritável (SII), por isso ainda não há dados sobre a prevalência na população.

Como ocorre a sensibilidade ao glúten?

Ainda não se sabe as causas da sensibilidade ao glúten. Há um consenso entre os especialistas de que não se trata de uma alergia nem de uma doença autoimune, mas de uma resposta imunológica ao glúten. Isso porque alguns pacientes têm níveis variáveis de anticorpos contra a gliadina (uma das proteínas presentes no glúten).

A boa notícia é que a SGNC não causa danos permanentes ao intestino nem inflamações crônicas, ao contrário da doença celíaca, em que os cuidados com contaminação por glúten são extremos.

Mesmo que os danos causados pela sensibilidade ao glúten não levem a doenças graves, como o câncer (no caso da doença celíaca não tratada), os sintomas são extremamente desconfortáveis e podem acarretar prejuízos ao bem-estar do indivíduo.

Sintomas de sensibilidade ao glúten não celíaca (SGNC)

  • Flatulência;
  • Dor e distensão abdominal;
  • Diarreia;
  • Náusea;
  • Síndrome da fadiga crônica e dor muscular;
  • Asma;
  • Deficiência nutricional;
  • Estresse e depressão;
  • Gastrite e esofagite;
  • Distúrbios hepáticos;
  • Distúrbios da tireoide, das articulações e neurológicos;
  • Dor de cabeça;
  • Confusão mental,
  • Formigamento e/ou dormência nas mãos e pés;
  • Inchaços no corpo.

 

Como identificar a SGNC?

Diagnosticar a sensibilidade ao glúten não celíaca não é tarefa fácil. Ainda não existem critérios totalmente confiáveis e nem biomarcadores que denunciem a doença. Portanto, o diagnóstico normalmente se dá após a realização de exames (sangue, endoscopia e colonoscopia, por exemplo) com resultados negativos para outros males, como a própria doença celíaca, alergia ao trigo, diabetes tipo 1, doenças inflamatórias intestinais e infecção por Helicobacter pylori.

Depois se analisa se há sintomas após o consumo de glúten e uma melhora com a exclusão de alimentos com a proteína. Se o paciente apresenta quadro mais ameno com a dieta sem glúten, ele é introduzido novamente para verificar se os sintomas voltam.

Esse último teste pode ser feito por você, mas é importante fazer os exames médicos para excluir a possibilidade de doenças mais sérias. Os médicos que você deve procurar são um gastroenterologista, endocrinologista ou nutrólogo, além do nutricionista.

Como é o tratamento para a sensibilidade ao glúten?

O tratamento é feito, basicamente, cuidando da alimentação. A dieta deve ter redução de glúten ou eliminação, nos casos mais severos. Isso deve ser feito sob orientação do médico ou nutricionista para que sejam repostas as vitaminas e minerais perdidos na dieta.  

Não se sabe se a SGNC é permanente ou transitória, portanto, o acompanhamento médico se faz necessário, principalmente nas crianças.

Você desconfia que seja sensível ao glúten? Procure um médico ou um nutricionista para investigar a doença e cuide da sua saúde.

X